IFRR visita polos da EaD nas comunidades indígenas

por Rebeca publicado 11/08/2017 09h01, última modificação 11/08/2017 09h01
Os polos do Núcleo de Educação a Distância (Nead) do Campus Amajari, localizados na sede do Município de Uiramutã e nas Comunidades Indígenas Araçá da Serra, Xumina e Raposa, no Município de Normandia, recebem a visita de técnicos do setor no período de 14 a 17 de agosto. Serão 1.060km a serem percorridos em quatro dias de viagem.

Os polos do Núcleo de Educação a Distância (Nead) do Campus Amajari, localizados na sede do Município de Uiramutã e nas Comunidades Indígenas Araçá da Serra, Xumina e Raposa, no Município de Normandia, recebem a visita de técnicos do setor no período de 14 a 17 de agosto. Serão 1.060km a serem percorridos em quatro dias de viagem.

A visita tem o objetivo de apresentar o novo coordenador do curso de Cooperativismo, Leonardo Tavares, fazer atualização cadastral, para atender à demanda de atualização de matrícula, e montar a comissão de formatura dos dois cursos oferecidos, que inclui o de Informática.

Além disso, como os cursos estão na reta final, haverá aula nas disciplinas de Empreendedorismo para as duas turmas e de Marketing Pessoal para os alunos de Informática. “Serão nossas duas últimas aulas do curso de Informática, e a disciplina Marketing Pessoal foi demanda das comunidades”, disse a coordenadora do Nead, Edileia Sousa Araújo.

O Campus Amajari leva cursos técnicos para sete polos, sendo que cinco funcionam dentro de comunidades indígenas. Pelos dados do Censo Escolar 2016, são 224 alunos matriculados: 83 em Cooperativismo e 141 no de Informática. A previsão de conclusão dos cursos é para novembro próximo.

Segundo Edileia, a falta de acesso às comunidades, devido às fortes chuvas, adiou a conclusão das aulas presenciais, prevista para o primeiro semestre deste ano. O Nead-CAM chegou a cancelar várias viagens aos polos pela falta de trafegabilidade.

Inclusive, lembra a coordenadora, a distância entre as comunidades do Araçá e Xumina é pouco mais de uma hora, mas, devido à queda de uma ponte, o contorno ocorrerá por Boa Vista, o que vai aumentar o tempo de viagem em quatro horas e em quase 400km. “A gente indo pela Capital, são 453km, sendo que, por dentro, seriam apenas 70km”, explica Edileia.

Mesmo com todas as dificuldades, o IFRR, por meio do Campus Amajari, tem honrado o compromisso de ofertar e concluir os cursos, de forma gratuita. Também instalou equipamentos de informática nos polos para garantir o acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizado, o AVA.

“Um dos pontos que muito nos alegra em todo esse processo é saber que estamos garantindo acesso às tecnologias nas comunidades mais distantes, sem cobrar nada. Por exemplo, nesses quatro polos que estamos visitando só tem a presença do IFRR com cursos. Estamos garantindo oportunidade de qualificação sem que a pessoa tenha que deixar sua comunidade para morar na Capital”, analisou Edileia.

DOCUMENTOS – Para a atualização cadastral, a coordenadora comenta que os alunos devem apresentar Carteira de Identidade, CPF e comprovante de endereço.

 

Rebeca Lopes

CCS/Campus Amajari

11/8/17