Alunos do curso superior têm primeira aula prática em laboratório

por Rebeca Lopes Silva publicado 10/08/2016 15h39, última modificação 10/08/2016 15h39
O diferencial dos cursos técnicos oferecidos na rede federal está em proporcionar ao estudante a prática da sua futura profissão. Nesse sentido, os alunos do curso superior de Tecnologia em Aquicultura do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima (CAM-IFRR) participam, na tarde desta quarta-feira, dia 10, da primeira aula prática laboratorial.

O diferencial dos cursos técnicos oferecidos na rede federal está em proporcionar ao estudante a prática da sua futura profissão. Nesse sentido, os alunos do curso superior de Tecnologia em Aquicultura do Campus Amajari do Instituto Federal de Roraima (CAM-IFRR) participam, na tarde desta quarta-feira, dia 10, da primeira aula prática laboratorial.

A aula faz parte da disciplina Fundamentos e Aplicação da Química, ministrada pelo professor Jonierison Pontis, que explicou que a ementa prevê que os alunos conheçam o laboratório, as normas de segurança, as vidrarias e o equipamento de proteção individual e coletiva (EPI e EPC). Ao longo do semestre, serão várias práticas.

Pontis explicou que, inicialmente, os estudantes vão conhecer as normas de segurança, uma vez que, no dia a dia do trabalho, vão lidar com reagentes, vidrarias. As normas técnicas de funcionamento e de estrutura de um laboratório também serão apresentadas.

Em seguida, os acadêmicos vão conhecer o EPI e o EPC para saber diferenciá-los; depois as vidrarias, a funcionalidade de cada uma no dia a dia do laboratório e os equipamentos disponíveis no local, que serão utilizados do trabalho, como o medidor de pH da água.

Segundo o professor, essa é a primeira de uma série de aulas práticas no semestre. “Essa aula vai ajudar nas aulas práticas de outras disciplinas, além de relacionar a teoria com a prática na nossa disciplina, tornando-a mais fácil e interessante para os alunos. Para eles, acho que será um divisor de água, porque vivenciarão o que vão utilizar na vida profissional”, avaliou.

  

Rebeca Lopes

IFRR/CCS/CAM

10/8/16