Assistentes sociais visitam Instituto Federal do Rio Grande do Norte para conhecer boas práticas

por Rebeca Lopes Silva publicado 08/06/2016 17h57, última modificação 08/06/2016 17h57
As assistentes sociais Marta Silva, do Campus Amajari, e Thayane Gonçalves, do Campus Novo Paraíso, participaram de visita técnica, no início deste mês, ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), para conhecer as práticas de assistência estudantil ali desenvolvidas. O IFRN é referência na execução dessa política na Rede Federal de Educação Tecnológica.

As assistentes sociais Marta Silva, do Campus Amajari, e Thayane Gonçalves, do Campus Novo Paraíso, participaram de visita técnica, no início deste mês, ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), para conhecer as práticas de assistência estudantil ali desenvolvidas. O IFRN é referência na execução dessa política na Rede Federal de Educação Tecnológica.

Durante a visita, as técnicas do IFRR tiveram a oportunidade de identificar os procedimentos, as técnicas e os métodos utilizados pelo serviço de Assistência Social para a concessão da assistência estudantil nas modalidades: transporte, alimentação, material escolar, moradia, apoio a eventos estudantis, concessão de merenda escolar e atendimento biopsicossocial e à saúde, inclusive com a utilização do Sistema Unificado de Administração Pública (Suap) no módulo da Assistência Estudantil.

Conforme Marta, a mesma visita foi realizada em 2015 pelo
Campus
Boa Vista Centro e pelo Departamento de Política de Assistência Estudantil da Reitoria. Este ano a oportunidade foi estendida aos campi do interior, com vistas a proporcionar a troca de experiência e o treinamento direto, para adaptarem os conhecimentos adquiridos à realidade das regiões onde estão instalados, considerando a demanda vigente e os arranjos produtivos locais. 

No CAM, está em análise a viabilidade da utilização do Suap para o registro acadêmico, a assistência estudantil e outras atividades relacionadas à administração do IFRR. “Uma vez que o campus tem o objetivo de aderir ao Suap, no módulo educacional, utilizando o sistema em sua totalidade, conhecer de perto como o instituto que realizou o seu desenvolvimento o emprega no cotidiano institucional é uma experiência indispensável para saber como aplicá-lo em nossa realidade”, disse Marta.

Outro ponto positivo da visita destacado pela assistente social foi conhecer outras práticas que “proporcionam uma perspectiva diferenciada sobre como fazer a assistência estudantil, para além da simples concessão de auxílios, ou seja, como política que garante os direitos estudantis”.

 

Rebeca Lopes/Marta Silva

IFRR/CCS/CAM

8/6/16