Diretor-geral apresenta estrutura para novos servidores

por Rebeca Lopes Silva publicado 30/03/2016 14h30, última modificação 30/03/2016 15h12
A estrutura que o Instituto Federal de Educação Tecnológica oferece no Município de Amajari, distante 156 km da Capital, foi apresentada pelo diretor-geral do Campus Amajari, George Sterfson Barros, para nove servidores empossados nos últimos meses. O encontro ocorreu no final da tarde da terça-feira (29), no gabinete da unidade.

A estrutura que o Instituto Federal de Educação Tecnológica oferece no Município de Amajari, distante 156 km da Capital, foi apresentada pelo diretor-geral do Campus Amajari, George Sterfson Barros, para nove servidores empossados nos últimos meses. O encontro ocorreu no final da tarde da terça-feira (29), no gabinete da unidade.

Na última posse, ocorrida em 17 de março, dos 29 servidores empossados para atuar na Rede Federal Tecnológica, cinco foram lotados no CAM, sendo um professor de música e quatro técnicos administrativos (assuntos educacionais, gestão pública, auxiliar administrativo e tradutor).

As contratações fazem parte da política de expansão das atividades do IFRR, tanto na Capital como interior, e, assim, a instituição passou a contar com mais de 600 servidores, distribuídos em seis unidades. O CAM passa a contar com mais de 90 servidores.

Durante a apresentação, o diretor-geral do CAM destacou que o Campus Amajari é reconhecido pelos outros campi por causa da dedicação dos servidores, que têm feito diferença nos serviços prestados. Explicou que a unidade está projetada para ter 70 professores, 50 técnicos e 1.200 alunos, e até sete cursos.

Hoje, oferece os cursos técnicos presenciais nas áreas de Aquicultura, Agropecuária e Agricultura, e está em andamento o primeiro vestibular para o Curso de Tecnólogo em Aquicultura. Segundo Barros, incluindo a modalidade de Educação a Distância (EaD), o Campus está presente em sete polos, e são mais de 600 alunos matriculados.

Barros destacou a importância do trabalho de cada servidor. “Quem trabalha com educação deixa de ser técnico administrativo para se tornar um técnico em educação, pois, além de precisar entender todo o processo, é peça fundamental para o bom funcionamento da estrutura”, disse.

O diretor afirmou que seria difícil o CAM chegar aonde chegou sem reconhecer a dedicação dos servidores. “Nossos servidores, por exemplo, de nível médio, a grande maioria, têm graduação e estão cursando especialização ou até mesmo mestrado. Então, o instituto é uma grande oportunidade para quem pensa em se qualificar”, disse, anunciando vagas para o mestrado que será lançado ainda neste semestre e esclarecendo que todos poderão se inscrever.

Para o gestor público Denysson Machado de Sousa, que trabalhou durante seis anos no Campus Boa Vista Centro, conhecer de perto o Campus Amajari é surpreendente. “Gostei muito, pois tem uma boa estrutura organizacional e existe um bom entrosamento entre os servidores. E não sabia que o campus (CAM) estava em tantas comunidades”, frisou.

A Coordenação de Gestão de Pessoas finalizou o encontro avisando que fará em breve uma reunião para falar sobre concessões e direitos.

 

Rebeca Lopes

CCS/IFRR/CAM

Fotos: Ramon Queiroz/CAM

30/03/16