Diretor-geral do Campus Amajari avalia VI Forint

por Rebeca publicado 30/11/2017 15h20, última modificação 01/12/2017 10h17
registrado em:
Alguns dados do VI Fórum de Integração do Instituto Federal de Roraima (Forint-IFRR) apontam 951 pessoas no evento, entre visitantes e credenciados, mais de 220 participantes de oficinas, atividades culturais com alta participação dos presentes, 139 trabalhos apresentados em forma de pôster, 720 mil ovos de tambaqui fertilizados. O evento técnico-científico é o maior realizado pelo Instituto Federal de Roraima e, neste ano, o Campus Amajari foi o anfitrião.

Alguns dados do VI Fórum de Integração do Instituto Federal de Roraima (Forint-IFRR) apontam 951 pessoas no evento, entre visitantes e credenciados, mais de 220 participantes de oficinas, atividades culturais com alta participação dos presentes, 139 trabalhos apresentados em forma de pôster, 720 mil ovos de tambaqui fertilizados. O evento técnico-científico é o maior realizado pelo Instituto Federal de Roraima e, neste ano, o Campus Amajari foi o anfitrião.

Na avaliação do diretor-geral do CAM, George Sterfson Barros, apesar das dificuldades existentes, o Forint foi um sucesso. “Todos os que vieram para cá disseram que o evento foi excelente. Superamos as dificuldades com trabalho coletivo. O coletivo do Campus Amajari funcionou muito bem, então só temos que agradecer muito a todos os servidores, terceirizados, alunos”, disse.

O diretor comenta que o resultado foi positivo, primeiro pela participação da comunidade e dos Campi Novo Paraíso, Boa Vista (CBV), Zona Oeste (CZO) e Avançado Bonfim (CAB). A qualidade dos trabalhos apresentados também surpreendeu. “Todo mundo elogiando os trabalhos científicos, a qualidade das oficinas, dos palestrantes que trouxemos, dos debates sobre o tema do evento, realmente tudo foi muito bom”, comentou.

Sterfson fez um agradecimento especial aos alunos e aos professores/técnicos do Campus Novo Paraíso por terem ficado para a tarde de atividades no campo, permitindo aos alunos conhecerem um pouco mais do que está sendo desenvolvido no CAM na parte prática, além de trocar experiência, aprender um pouco mais, e, o mais importante, integrar-se. Ele também agradeceu a presença dos alunos e dos docentes do CBVZO, do CAB e do CBV.

A dedicação e o envolvimento dos servidores do CAM também foram enfatizados pelo diretor. “Não posso citar o nome de todos, mas, em nome das professoras Pier e Alessandra, que conduziram a comissão local, queremos agradecer a todos os servidores, a todas as comissões, aos terceirizados, aos alunos, porque todos trabalharam, e nós reconhecemos isso”, frisou.

Perguntado sobre os desafios para as próximas edições, visto ser o fórum institucional e de integração, Sterfson acredita que ainda tenha fragilidades a serem superadas. “Essa fragilidade de participação e integração, a gente precisa fazer uma discussão sobre isso, para a gente melhorar o evento, não para acusar, apontar dedos. Isso nós temos que discutir no Colégio de Dirigentes, fazer uma discussão madura, porque importante também é os alunos participarem da parte cultural, não só da parte científica, que daí também vai haver integração”, avaliou.

PARCEIROS – Para a realização do evento, a comissão local contou com o apoio do Sebrae/RR (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que cedeu as tendas; da Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Renováveis), que cedeu mudas de plantas para doação.

 

 

Rebeca Lopes

CCS/Campus Amajari

30/11/17

CGP