Estudantes visitam fazenda de criação de peixe Pirarucu no Cantá

por Fábio Santos publicado 18/09/2014 00h00, última modificação 13/08/2015 10h18
Na sexta-feira passada (12), estudantes do Câmpus Amajari do Instituto Federal de Roraima (IFRR) estiveram na Fazenda Carvalho, localizada no Município do Cantá, para conhecer um novo ramo na área de aquicultura no estado: a criação de pirarucu em tanque escavado.
Estudantes visitam fazenda de criação de peixe Pirarucu no Cantá

Alunos visitam fazenda

Na sexta-feira passada (12), estudantes do Câmpus Amajari do Instituto Federal de Roraima (IFRR) estiveram na Fazenda Carvalho, localizada no Município do Cantá, para conhecer um novo ramo na área de aquicultura no estado: a criação de pirarucu em tanque escavado. A visita fez parte da programação da Semana do Peixe em Roraima e possibilitou o contato dos alunos com importantes informações sobre a prática da produção do peixe.


O pirarucu é considerado um dos maiores peixes de água doce fluvial e lacustre do Brasil, e possui um alto valor de mercado. Na fazenda, os alunos entrevistaram o consultor do Sebrae e produtor de peixe, José Carlos Markus, que relatou as principais dificuldades enfrentadas e os sucessos conquistados na criação do peixe amazônico.

Alunos olhando assude

Markus destaca que o mercado está aberto e que existe uma grande demanda de técnicos nas fazendas do estado. "Muitos produtores estão percebendo que só vão conseguir se manter na atividade ou aumentar a rentabilidade no negócio se investirem em tecnologia. E, na implantação da tecnologia, o técnico, em nível de campo, é fundamental. Dentro desse cenário, o peixe pirarucu é uma nova alternativa para produção local", diz o consultor.


A aluna do curso Técnico Subsequente em Agropecuária, Gleice Leite de Oliveira, aprovou a aula prática. "A visita foi bastante produtiva, principalmente para quem está se formando e pensa futuramente qualificar-se na área. Foi possível também presenciar as formas de manejo, aprimorando ainda mais os nossos conhecimentos", afirma a estudante.

Foto em grupo perto do assude

A visita também contribuiu com informações relevantes para a estruturação do mais novo curso técnico do Câmpus Amajari, o curso Técnico em Aquicultura, como afirma o professor e engenheiro de pesca Lucas Comassetto. "As visitas técnicas e a conversa com pessoas que desenvolvem atividades ligadas às áreas de aquicultura são fundamentais para a estruturação do plano de curso, pois possibilitam que a comissão crie um plano de curso que forme profissionais qualificados que atendam aos anseios da cadeira produtiva, principalmente em se tratando de uma atividade dinâmica como o cultivo de organismos aquáticos".

Fonte: Anderson Caldas - CCS/Amajari