IFRR entrega obras e abre Cápsula do Tempo do Campus Amajari

por Rebeca Lopes Silva publicado 27/06/2016 16h05, última modificação 30/06/2016 10h43
Em comemoração aos 23 anos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR), nesta terça-feira, dia 28, a partir das 8 horas, no Campus Amajari, será aberta a Cápsula do Tempo e entregues as obras do Almoxarifado e da instalação dos três grupos geradores de energia.

Em comemoração aos 23 anos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR), nesta terça-feira, 28, a partir das 8 horas, no Campus Amajari, será aberta a Cápsula do Tempo e entregues as obras do Almoxarifado e da instalação dos três grupos geradores de energia.

Devem participar da solenidade o reitor do IFRR, Ademar de Araújo Filho, o diretor-geral do CAM, George Sterfson Barros, gestores, coordenadores e servidores da instituição, além de convidados. 

A Cápsula do Tempo contém informações colocadas em um recipiente e enterradas pelos gestores responsáveis pelo lançamento da pedra fundamental relativa às obras de construção do Campus Amajari, as quais se iniciaram no primeiro semestre de 2010. A sede foi inaugurada em dezembro de 2012. A cápsula vai ser aberta e recolocada.

Já o prédio, de 440 metros quadrados, contempla as Coordenações de Almoxarifado e de Patrimônio. São duas recepções, dois espaços para coordenações, dois banheiros e dois depósitos.  As obras, orçadas em R$ 1.118.511,79, se iniciaram em novembro de 2014 e foram concluídas em fevereiro de 2016, com o valor contratado de R$ 950.014,35. A economia foi de R$ 168.497,44.

Quanto aos geradores, os três equipamentos custaram R$ 331.500,00, sendo que dois são grupos geradores de 170 kVA, cada um no valor de R$ 100.750,00. Um vai atender à parte administrativa e aos alojamentos, e o outro ao ginásio e ao almoxarifado. O terceiro, de 260 kVA, orçado em R$ 130.000,00, atenderá aos blocos das salas de aula, aos laboratórios, à biblioteca, à área de convivência e ao refeitório.

De acordo com o diretor-geral do CAM, a empresa que forneceu os geradores é responsável pela instalação completa dos equipamentos. Ele explicou que os geradores serão acionados apenas quando a concessionária deixar de fornecer energia elétrica. “Essa compra foi um investimento para garantir o funcionamento das atividades quando faltar energia, em especial para garantir o mínimo de conforto aos alunos que ficam alojados no campus”, afirmou.

Quanto ao prédio, o diretor comentou que, assim como outros projetados na gestão do atual reitor, estava previsto no Plano Diretor que compôs o Plano de Desenvolvimento Institucional de 2014-2018. A obra procura manter um padrão das construções da instituição, criando, assim, uma identidade arquitetônica para o IFRR, como ocorreu com o ginásio de esportes.

 

 

Rebeca Lopes

IFRR/CCS/CAM

27/6/16