IFRR entrega Projeto Político-Pedagógico a duas escolas indígenas

por Rebeca Lopes Silva publicado 13/04/2016 16h25, última modificação 14/04/2016 08h37
Os projetos serão entregues a duas escolas indígenas do Município do Amajari, nesta quinta-feira, 14, como parte da ação do MEC 20RJ

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima/Campus Amajari entrega, nesta quinta-feira,14, os Projetos Políticos-Pedagógicos (PPPs) das Escolas Estaduais Indígenas Tuxaua Raimundo Tenente, na Comunidade do Araçá, e Tobias Barreto, na Comunidade da Mangueira, ambas no Município do Amajari. A entrega será às 8h, na Mangueira, e às 10h, no Araçá.

A elaboração dos projetos faz parte da ação do MEC 20RJ, que tem o objetivo de promover reflexões e discussões a respeito das etapas de planejamento, elaboração e execução do PPP das escolas públicas, por meio de oficinas e acompanhamento pedagógico. Além da entrega, aproximadamente 60 profissionais da educação básica do Estado de Roraima serão certificados pela capacitação e formação inicial e continuada de 200 horas. 

O diretor de Ensino do Campus Amajari e coordenador da capacitação 20RJ, Evaldo Pulcinelli, explicou que toda a comunidade participou da elaboração do PPP com sugestões. “Tivemos uma surpresa boa, porque alunos, servidores em geral, tuxauas, representantes de igrejas, participaram com sugestões para que o PPP tivesse a cara da comunidade”, disse.

Conforme Pulcinelli, a maioria das escolas indígenas estaduais de Roraima ainda não tem o PPP, e o grande diferencial dessa capacitação de 200 horas foi não apenas dizer aos participantes como elaborar o projeto durante as oficinas, mas também como  executá-los nas duas escolas. “O maior diferencial foi esse. É tanto que as duas escolas já tinham recebido capacitação sobre Projeto Político-Pedagógico, porém, quando iam executar, acabavam não conseguindo finalizar. Dessa forma (com o 20RJ), o documento foi concluído porque foi elaborado durante o processo”, frisou.

Com o projeto  finalizado nas  duas comunidades, a Coordenação trabalhou durante alguns meses na compilação dos dados. Agora chegou o momento de certificar todos os cursistas e entregar o PPP às gestões das escolas.

Para o diretor-geral do Campus Amajari, Sterfson Barros, a entrega dos documentos às duas comunidades é um marco, uma vez que as escolas terão como guia pedagógico o PPP, que é o referencial que cada escola tem, respeitando sua história, suas particularidades.

“Cada comunidade indígena, por mais que tenha uma proximidade geográfica com outra,  tem seu referencial cultural, histórico diferenciado, inclusive a questão dos alunos. Existe um referencial para todas as escolas, sejam estaduais,  sejam municipais. Elas seguem uma linha, inclusive, as federais, mas o PPP dá identidade à  escola. Esse é o grande diferencial”, afirmou Barros.

 

Rebeca Lopes
IFRR/CCS/CAM
13/4/16