Sarau e exposição marcam programação no Campus Amajari

por Rebeca Lopes Silva publicado 22/06/2016 11h25, última modificação 22/06/2016 14h47
As atividades no Campus Amajari alusivas à programação de aniversário dos 23 anos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima iniciaram nesta terça-feira, dia 21, com a exposição fotográfica dos trabalhos realizados pelo Programa Mulheres Mil. As fotos ficam expostas até dia 24 de junho.

As atividades no Campus Amajari alusivas à programação de aniversário dos 23 anos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima iniciaram nesta terça-feira, dia 21, com a exposição fotográfica dos trabalhos realizados pelo Programa Mulheres Mil. As fotos ficam expostas até dia 24 de junho.

Além disso, nesta quarta-feira, dia 22, a Coordenação de Eventos do campus, em parceria com servidores, organizou o Sarau Cultural, com exposição fotográfica, que será apresentada pelos alunos do curso de extensão em Fotografia, recital de poesias e apresentações teatral, musical e de dança de salão.

De acordo com o coordenador de Eventos, Ramon Queiroz, a programação também prevê a realização de uma minioficina de literatura de cordel, com o professor José Wilson Martins, e a apresentação de desenhos indígenas pelos alunos do 1.º ano das turmas 122 e 123. “A ideia é que o evento seja dinâmico, com a participação de servidores e alunos”, disse.

Para o diretor-geral do CAM, Sterfson Barros, este é um mês de comemoração da história do IF e dos campi, e, para revivê-la, são necessários esses momentos mostrando para alunos e comunidade a contribuição que a instituição tem dado para Roraima. “Que possamos tirar um aprendizado dessa história e melhorar a qualidade dos nossos serviços”, afirmou.

Em relação à exposição Mulheres Mil, a coordenadora do programa no Campus Amajari, Pierlângela Nascimento da Cunha, explicou que ela foi organizada pela coordenação-geral e pelas coordenações dos campi e vai percorrer todas as unidades com o objetivo de divulgar o que foi realizado pelo programa.

No caso do Amajari, o programa está implantado desde 2011, tendo certificado 264 mulheres em quatro cursos. Em 2014, com a criação do Pronatec/Brasil sem Miséria Mulheres Mil, o campus ampliou a clientela com a oferta de cursos às comunidades indígenas, como o de Artesão de Pintura em Tecidos, realizado no Guariba, Município do Amajari; o de Padeiro, na Boca da Mata, em Pacaraima; e o de Artesão de Artigos Indígenas, em Maturuca, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, Município de Uiramutã.

 

 

Rebeca Lopes
IFRR/CCS/CAM
22/06/16