PROTAGONISMO JUVENIL – Aluna do Campus Boa Vista Centro é selecionada para o Programa Jovens Embaixadores 2017

por Virginia publicado 10/11/2016 14h45, última modificação 10/11/2016 15h14
A aluna Juliana Carolina da Silva Lima, do 3.º ano do curso Técnico em Eletrônica integrado ao ensino médio e presidente do Grêmio Estudantil do Campus Boa Vista Centro (CBVC), foi um dos 50 jovens selecionados para o Programa Jovens Embaixadores 2017. Ela participou de uma seleção com cerca de 19 mil inscritos em todo o País e concorreu com seis estudantes de Roraima em uma avaliação composta por dez fases, sendo as cinco primeiras referentes à seleção e as cinco finais à preparação dos selecionados para a viagem. Em Roraima, o exame é organizado e aplicado pela Secretaria de Estado da Educação e Desportos (Seed).

A aluna Juliana Carolina da Silva Lima, do 3.º ano do curso Técnico em Eletrônica integrado ao ensino médio e presidente do Grêmio Estudantil do Campus Boa Vista Centro (CBVC), foi um dos 50 jovens selecionados para o Programa Jovens Embaixadores 2017. Ela participou de uma seleção com cerca de 19 mil inscritos em todo o País e concorreu com seis estudantes de Roraima em uma avaliação composta por dez fases, sendo as cinco primeiras referentes à seleção e as cinco finais à preparação dos selecionados para a viagem. Em Roraima, o exame é organizado e aplicado pela Secretaria de Estado da Educação e Desportos (Seed). 

Juliana viajará, no período de 10 de janeiro a 5 de fevereiro de 2017, para Washington, onde participará de uma intensa programação juntamente com os demais selecionados.

Premiação – Os vencedores do concurso viajam sempre no mês de janeiro para um programa de três semanas nos Estados Unidos. Durante a primeira semana, visitam a capital do país, os principais monumentos, além de participar de reuniões em organizações dos setores público e privado e conhecer escolas e projetos sociais. Após essa primeira semana em Washington, os participantes são divididos em subgrupos, e cada um viaja para um estado diferente dos EUA. Lá, são hospedados por uma família americana, assistem a aulas, interagem com jovens da mesma idade e participam de atividades culturais, de responsabilidade social, de empreendedorismo e liderança, e fazem apresentações sobre o Brasil.

Um dos critérios para a seleção é o envolvimento dos candidatos em ações e programas sociais em suas comunidades e escolas, e, dessa parte, Juliana entende muito bem, pois tem um longo histórico de protagonismo juvenil.

Participação social – Em 2011, a estudante participou do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda). Entre outros objetivos, o Conanda visa combater a violência e a exploração sexual praticada contra crianças e adolescentes; a prevenção e a erradicação do trabalho infantil e a proteção do trabalhador adolescente; a promoção e a defesa dos direitos de crianças e adolescentes indígenas, quilombolas, crianças e adolescentes com deficiência, entre outros.

Em 2013, participou do programa Selo Unicef Município Aprovado, que consiste em uma estratégia para promover os direitos das crianças e adolescentes da Amazônia. O selo é um investimento no desenvolvimento das capacidades dos gestores municipais e dos atores locais e um investimento em uma mobilização social em favor do desenvolvimento municipal.

No ano de 2014, a aluna participou de ações relacionadas à promoção da privacidade e segurança na internet, com a organização de palestras educativas para os alunos do CBVC. A ação envolveu docentes de várias áreas com debates acerca de temas de interesse como cyberbullying.

O ano de 2016 foi marcado pela participação dela no projeto “Representação social de alunos cotistas do IFRR: uma análise com recorte de gênero e raça”, realizado por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica do IFRR (Pibict). No mesmo ano, à frente do grêmio, participou da organização do “Dia D contra violações dos direitos humanos”, em parceria com outras instituições, como o Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame) e o Conselho Tutelar de Roraima.

Outras participações foram fundamentais para que Juliana fosse selecionada para o Programa Jovens Embaixadores: no Comitê de Enfrentamento à Violência Sexual (2015), no Seminário Internacional de Empoderamento de Meninas (2015), no Programa Eleitor do Futuro (2015) e na Campanha Nacional Criança Não é de Rua (2016). A discente também faz parte da Rede Juva RR – Juventude Unida Pela Vida na Amazônia.

Sobre esse protagonismo juvenil, a aluna diz que, ao longo de vários anos, traça metas e visa sobretudo à multiplicação dos conhecimentos adquiridos. “Tenho traçado metas das participações em eventos, ações e programas sociais e, ao final, sempre procuro compartilhar os conhecimentos e experiências. Pretendo seguir a área da diplomacia por acreditar no ser humano, no potencial de cada um, e uma forma de mudar o mundo é mudar primeiro o “nosso” mundo, o nosso lar, o nosso bairro, a nossa escola, o nosso comportamento, para depois mudar uma sociedade inteira”, frisou.

Outros alunos do IFRR já representaram Roraima no programa, como é o caso de Alana Maria Carolino e Paulo Segundo, em 2009, quando a instituição ainda era Cefet, e Thainá Tsukuda,  em 2013.

Jovens Embaixadores – O Programa Jovens Embaixadores é uma iniciativa de responsabilidade social da Embaixada dos Estados Unidos — em parceria com os setores público e privado de ambos os países –  que beneficia com uma viagem de três semanas aos Estados Unidos alunos brasileiros da rede pública com excelente desempenho escolar, que falam inglês, que pertencem à camada socioeconômica menos favorecida, que têm perfil de liderança, que prestam serviço voluntário, enfim, que são exemplos em suas comunidades.

Criado em 2002, o programa busca beneficiar alunos brasileiros da rede pública que são exemplos em suas comunidades – em termos de liderança comprovada, atitude positiva, consciência cidadã, excelência acadêmica e conhecimento da língua inglesa. O principal objetivo do programa é valorizar e promover o fortalecimento da educação pública por meio desses jovens, transformando-os em modelos para os colegas e a comunidade.

Outras informações podem ser obtidas no endereço:

https://br.usembassy.gov/pt/education-culture-pt/programa-jovens-embaixadores/como-participar-do-programa/

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista Centro, com informações do site: http://www.jovensembaixadores.org/
9/11/2016