SIMPÓSIO - Campus Boa Vista Centro promoveu discussões sobre o Outubro Rosa e o Sistema Único de Saúde (SUS)

por Virginia publicado 27/10/2016 11h15, última modificação 27/10/2016 15h41
Com foco na campanha nacional intitulada Outubro Rosa, que alerta as mulheres sobre a importância de realizarem exames e visitarem o médico periodicamente com vistas à prevenção do câncer de mama e outras formas de doenças que acometem milhares de brasileiras todos os anos, o Campus Boa Vista Centro do Instituto Federal de Roraima (CBVC-IFRR), por meio da Coordenação do Curso de Tecnologia em Gestão Hospitalar (TGH), promoveu um importante momento de discussão entre a comunidade acadêmica e especialistas. Outro tema suscitado foi "Os desafios e as perspectivas do Sistema Único de Saúde (SUS)". As discussões ocorreram durante um simpósio realizado no dia 21 de outubro, no auditório do CBVC

Com foco na campanha nacional intitulada Outubro Rosa, que alerta as mulheres sobre a importância de realizarem exames e visitarem o médico periodicamente, com vistas à prevenção do câncer de mama e de outras doenças que acometem milhares de brasileiras todos os anos, o Campus Boa Vista Centro do Instituto Federal de Roraima (CBVC-IFRR), por meio da Coordenação do Curso de Tecnologia em Gestão Hospitalar (TGH), promoveu um importante momento de discussão entre a comunidade acadêmica e especialistas. Outro tema debatido foi "Os desafios e as perspectivas do Sistema Único de Saúde (SUS)". As discussões ocorreram durante um simpósio realizado no dia 21 de outubro, no auditório do CBVC.

O evento foi aberto à comunidade acadêmica do CBVC, e as discussões promovidas por meio de uma mesa-redonda com profissionais que atuam na área, mediada por Allan Freitas, diretor de Monitoramento de Processos e assessor técnico da Coordenadoria-Geral da Atenção Especializada da Secretaria de Estado da Saúde, que também é egresso do curso de Gestão Hospitalar do CBVC-IFRR.

Outubro Rosa -  Para falar sobre o Outubro Rosa, o evento contou com a participação da doutora Magnólia Rocha, médica ginecologista, presidente da Liga Roraimense de Combate ao Câncer. Ela citou os cuidados preventivos que todas as mulheres devem ter, tais como alimentação saudável, prática de atividades físicas, consulta regular ao médico e autoexame. “O câncer é uma doença multifatorial envolvendo fatores genéticos e ambientais, e tem tratamento pelo SUS”, enfatizou.

A médica ainda apresentou o resultado da última pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), que diz que a estimativa brasileira é de 57.960 casos novos de câncer de mama em 2016, representando 25% dos casos de câncer registrados no País. A especialista explicou que, no âmbito local, existem mamógrafos disponíveis na rede pública e convênios com a rede privada para dar acesso a esse tipo de equipamento, bem como estratégias de aproximação com o público-alvo.

SUS - O outro tema da mesa-redonda, o SUS, foi explanado pela superintendente de Atenção Básica da Secretaria de Saúde do Município de Boa Vista, a enfermeira Erika Madeleine do Nascimento Carvalho. Ela apresentou os desafios enfrentados pelo município no atendimento às demandas locais, focando nos protocolos da atenção básica, que têm como objetivo o alcance de resultados, o atendimento uniforme e o controle de doenças.

Erika também ressaltou a preocupação em relação ao financiamento do SUS, pois geralmente as despesas são mais elevadas do que os repasses e há defasagem nos valores repassados para o pagamento de consultas, exames e procedimentos. “Nesse contexto de investimento limitado, a necessidade de gerenciamento se torna essencial e também um grande desafio para os futuros gestores hospitalares”, frisou.  

A reitora eleita do IFRR, professora Sandra Mara Botelho, elogiou a iniciativa dos organizadores, agradeceu a participação dos debatedores e destacou a importância dos temas. Ela também falou da sua preocupação com os cortes de verbas na educação e na saúde. “Estão sendo projetados novos cortes que vão prejudicar a maior parte da população. Mesmo tendo que equilibrar as contas públicas, não se pode perder o senso de justiça social”, disse.

Simpósio - O objetivo do simpósio foi refletir sobre a importância do papel de gerenciamento das organizações de saúde, avaliando as configurações legais vigentes, das políticas e das estratégias de prevenção a doenças. O evento foi organizado por alunos do segundo módulo do curso de Tecnologia em Gestão Hospitalar, como parte de processo avaliativo da disciplina de Epidemiologia, orientado pela professora Cleide Maria Fernanda Bezerra e coorientado pela professora de Metodologia Científica, Luciana de Souza Vitório, com o apoio da coordenação do curso, professora Lucélia Santos.

 

Sofia Lampert/Relações Públicas do IFRR
CCS/Reitoria
25/10/2016