IFRR dialoga sobre possíveis parcerias de projetos com Embaixada Espanhola, UNFPA, OEI e Cebraspe

por Sofia Lampert publicado 09/04/2019 16h10, última modificação 11/04/2019 08h55
Serão avaliadas possibilidades de realização de cursos e capacitações em parceria com organizações ligadas às questões fronteiriças

Na tarde desta segunda-feira, 8, gestores do Instituto Federal de Roraima (IFRR) se reuniram, na Reitoria da instituição, com representantes da Embaixada Espanhola, do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Organização dos Estados Ibero-americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI) e do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

O encontro teve como objetivo dialogar sobre a possibilidade de parcerias, voltadas principalmente aos refugiados venezuelanos, por meio de cursos para os imigrantes ou capacitação às pessoas que prestam serviços públicos a essa parte da população, principalmente nas áreas de educação, saúde e gênero.

Durante a conversa, presidida pela reitora em exercício, Sandra Grützmacher, foi exposto que o instituto é uma estrutura multicampi e que já realizou algumas capacitações aos imigrantes, como o curso de língua portuguesa. “Além de ensinar, nossa preocupação é de acolher também”, destacou.

O embaixador espanhol no Brasil, Fernando Garcia Casas, e o conselheiro de educação da Embaixada Espanhola, Pedro Cortegoso, acenaram sobre a possibilidade de auxiliar na certificação/reconhecimento de saberes dos refugiados que já possuem qualificação anterior à chegada no Brasil. Além disso, foi mencionado sobre a probabilidade de um acordo de  cooperação entre a Embaixada Espanhola e o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), o qual deverá promover ações para incrementar a oferta do espanhol em toda a Rede.

A viabilidade de um auxílio para realização dessas capacitações em Roraima também foi mencionada. O conselheiro da OEI, Rapahel Callou falou sobre a perspectiva de repasse de bolsas aos professores envolvidos em cursos e também de material na língua espanhola, já que a organização tem expertise na área da educação bilíngue. Outro ponto discutido no encontro se referiu à realização de estágios interdisciplinares, levantado pela diretora da Cebraspe, Claudia Maffini Griboski. 

O pró-reitor de Extensão do IFRR, Nadson Castro, reiterou a importância de o instituto estar próximo da comunidade e a preocupação com essa parcela da sociedade. Para exemplificar, a diretora de Políticas de Extensão, Articulação e Convênios da instituição, Ana Cláudia Lopes, informou que “das 50 bolsas do Programa Institucional de Bolsa Acadêmica de Extensão (Pbaex/IFRR) deste ano, seis são exclusivamente para projetos voltados a esse público”.

Ana Cláudia mencionou ainda sobre os cursos que, em breve, serão ofertados pelo IFRR aos servidores da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), vinculada à Prefeitura Municipal de Boa Vista. Eles deverão contribuir indiretamente para o atendimento o público estrangeiro que usufrui do SUS.

A oficial de programas de assistência humanitária da UNFPA, Irina Bacci, avaliou positivamente a realização desses cursos aos profissionais da saúde para o atendimento a essa parcela da população. Segundo dados expostos pela profissional, 10% da população de Roraima é composta por venezuelanos e 40% dos partos da rede pública em Boa Vista são de mulheres desse país, lembrando que boa parte já chega gestante no Brasil.

Ao final da reunião, reitora em exercício esclareceu sobre a necessidade de avaliar juntamente com os dirigentes dos campi a possiblidade de realização das ações apontadas, em especial com os setores ligados ao ensino e à extensão.  

 
Sofia Lampert
Fotos: Nenzinho Soares
Ascom/Reitoria do IFRR
9/4/2019
 
« Abril 2019 »
month-4
Se Te Qu Qu Se Sa Do
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 1 2 3 4 5