IV Oficina de Gramática Pedagógica é ministrada para os povos wapixana

por Virginia publicado 31/03/2015 17h20, última modificação 01/04/2015 08h51
No período de 15 a 20 de março, ocorreu a IV Oficina de Gramática Pedagógica do Projeto de Documentação das Línguas Indígenas (ProDoclin) do Museu do Índio, na Comunidade da Malacacheta. A atividade foi organizada pelo professor Luiz Alexandre Mattos do Amaral.
IV Oficina de Gramática Pedagógica é ministrada para os povos wapixana

O professor Luiz Alexandre Mattos do Amaral é Doutor pela Ohio State University

No período de 15 a 20 de março, ocorreu a IV Oficina de Gramática Pedagógica do Projeto de Documentação das Línguas Indígenas (ProDoclin) do Museu do Índio, na Comunidade da Malacacheta. A atividade foi organizada pelo professor Luiz Alexandre Mattos do Amaral.

Amaral é Doutor pela Ohio State University, Mestre pela (PUC/RJ) e Bacharel em Letras pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente, exerce o cargo de professor de Linguística do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da University of Massachusetts Amherst. Ali, desenvolve pesquisas na área de aquisição da segunda língua, bilinguismo, línguas indígenas brasileiras, linguística computacional e sintaxe.

De acordo com Roseli Bernardo Silva dos Santos, coordenadora da Ação Saberes Indígenas, a oficina pedagógica contribuiu de forma bastante significativa para o desenvolvimento das práticas pedagógicas dos professores indígenas, pois, uma vez contemplada no planejamento das aulas, estabelece relações no processo docente educativo, envolvendo o ensino nas situações da vida cotidiana das pessoas em suas atuações individuais e coletivas. “A atividade da Oficina de Gramática Pedagógica  foi  considerada bastante  relevante para a Ação Saberes Indígenas, pois proporcionou as bases necessárias para a ação”, destacou.

A professora Nilzamara de Souza Silva, formada pelo Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), e atuando como formadora dos povos wapixana do projeto  Ação Saberes Indígenas na Escola,  fez uma breve avaliação do projeto Gramática Pedagógica. “A importância do projeto é a possibilidade de unir os povos que falam a língua wapixana e definir uma metodologia de ensino desse idioma, o que refletirá no processo de formação do aluno e na valorização do povo wapixana, propiciando a preservação da língua materna”, destacou a professora.      

A oficina contou ainda com a participação e a contribuição do professor Elder José Lanes, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Doutor em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005), Mestre em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000), Especialista em Línguas Indígenas Brasileiras – Museu Nacional-UFRJ (1996), Licenciado em História pela Universidade Federal Fluminense (1991), e com estágio pós-doutoral no Language Acquisition Research Center (Larc/Umass), com questões de ensino de línguas indígenas.

Saberes Indígenas –  Em Roraima, a ação está sob a responsabilidade da Coordenação-Geral Sede/IFRR,  ligada à Pró-Reitoria de Ensino, e vem sendo desenvolvida em parceria com a Universidade Federal de Roraima (UFRR) e com a Universidade Estadual de Roraima (UERR).

 

Virginia Albuquerque

CCS/Reitoria

31/03/2015

                

 

 

 

 

     

 

 

 

« Dezembro 2016 »
month-12
Se Te Qu Qu Se Sa Do
28 29 30 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31 1