Live de lançamento de livro com relato da experiência da primeira turma 100% indígena do Campus Amajari ocorre neste sábado, 8

por Rebeca publicado 06/08/2020 16h18, última modificação 06/08/2020 16h18
A transmissão ocorrerá pelo Facebook e pelo YouTube, nos perfis da editora, a partir das 18h

“Educação escolar em alternância: a experiência dos Macuxi em Roraima.” Esse é o nome de um dos capítulos que fazem parte do livro Povos Indígenas no Brasil, a ser lançado pela Editora Nova Praxis, neste sábado, 8, a partir das 19 horas (horário de Brasília). A transmissão ocorrerá pelo Facebook e pelo YouTube, nos perfis da editora.

De autoria de Marcos Antonio de Oliveira, professor do Instituto Federal de Roraima/Campus Amajari e doutorando em Sociologia da Educação pela Universidade de São Paulo, o artigo aborda os três anos de experiência de seis integrantes da turma de alternância do campus formada exclusivamente por alunos indígenas.

Criada segundo os princípios da pedagogia de alternância, em que estudantes do ensino médio Técnico em Agropecuária permanecem 15 dias na instituição e 15 dias em suas comunidades, a turma iniciou-se em 2017, com 30 alunos, e concluiu o curso em 2019, com 21 estudantes.

O autor da pesquisa verificou que essa foi a primeira turma composta totalmente por pessoas da etnia macuxi. Segundo ele, o texto procura entender as motivações que atraíram os estudantes, uma vez que tinham de viajar aproximadamente 150 km para estudar no Campus Amajari e vencer inúmeros desafios, como a cultura e a língua, para poder concluir o curso técnico.

O professor comenta que na pesquisa foram identificadas as expectativas dos estudantes sobre sua permanência na instituição, suas impressões acerca de suas comunidades e sobre as opções de escolarização disponíveis. Também conta que optou pela observação do participante e por entrevistas detalhadas com seis estudantes, o gestor da Escola Estadual Indígena José Marcolino e o tuxaua da Comunidade Contão, na Terra Indígena Raposa-Serra do Sol.

“Analisamos os diversos fatores que influenciaram as decisões desses jovens, como a intervenção de familiares e amigos, e também abordamos a visão negativa sobre a qualidade da educação escolar disponível em suas comunidades e a opinião positiva sobre a educação oferecida pelo Campus Amajari”, explicou Oliveira.

 


Ascom/Reitoria
Rebeca Lopes
6/8/2020
Fotos:
Capa do livro (Divulgação)
Turma em atividades (CCS/CAM)
Formatura (Nenzinho Soares)

CGP