Ações de extensão seguem atendendo a comunidade

por Virginia publicado 18/11/2020 18h05, última modificação 19/11/2020 08h55
Eventos e cursos permanecem sendo ofertados pelo CBV, mesmo na pandemia

A política de extensão institucional se consolida a partir de ações desenvolvidas por meio de projetos e programas que beneficiam a comunidade em geral. Seja por iniciativa de servidores e acadêmicos, seja mediante parcerias interinstitucionais que ampliam a atuação do Campus Boa Vista (CBV), eventos e cursos permanecem sendo ofertados por essa unidade do Instituto Federal de Roraima, mesmo na pandemia.

Cursos FIC – O Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO) e o Curso Superior de Polícia (CSP), realizados por meio da parceria com a Polícia Militar de Roraima (PMRR), vão qualificar 90 policiais militares.

De acordo com a diretora de Extensão e Ações Inclusivas do CBV, professora Marilda Vinhote Bentes, as formações têm como objetivo ampliar os conhecimentos dos ocupantes dos postos de major e capitão dos quadros complementar, de saúde, de combatentes e de músicos da Polícia Militar de Roraima, visando a um melhor atendimento à sociedade. “Esses oficiais estão sendo realmente guerreiros, pois, mesmo exercendo suas funções na PM, estão ativos nos cursos”, disse.

Os cursos representam verdadeiros desafios aos policiais militares, pois precisam conciliar o serviço com as atividades teóricas e práticas das formações, além de vencer as barreiras do ensino a distância, no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)/Moodle, pela plataforma Google Meet, e realizar as pesquisas de campo. “As aulas ocorrem de domingo a domingo, e cada docente, seja da PM, seja do IFRR, ministra suas aulas considerando legislações, teorias atualizadas e a realidade, em uma mesclagem que propõe contribuir para a melhor gestão da segurança pública no estado. Portanto, fazer parte dessa formação é extremamente gratificante, pois o IFRR está, mais uma vez, contribuindo para a sociedade roraimense”, relatou Marilda.

Para a coordenadora dos cursos FIC, a técnica administrativa Enyedja Fabrícia de Lima Cruz, o CAO e o CSP representam ações de superação de desafios. “Em um ano tão adverso e atípico, o uso das tecnologias tem sido um grande aliado, em razão do distanciamento social decorrente da pandemia da Covid-19. Dos 90 policiais matriculados, somente um se desligou do curso, o que significa 98,8% de permanência. Portanto, é muito satisfatório para o IFRR poder contribuir para a formação e a ascensão dos policiais da PM”, afirmou.

Para o comandante da PM, coronel Francisco Xavier Medeiros de Castro, a parceria com o CBV/IFRR, bem como a disponibilidade de servidores da instituição, foi fundamental para a implementação da ação. “Essa parceria foi muito significativa, pois garantimos a qualidade dos cursos ofertados. Estamos recebendo um retorno muito bom dos alunos quanto à capacidade, ao conhecimento e à qualificação dos professores do IFRR, cuja maioria tem mestrado e doutorado. Essa qualificação reflete diretamente no ganho para a PM, pois estamos investindo na formação intelectual dos oficiais que serão os futuros gestores da corporação. Assim, ganha também a sociedade. Esperamos que outras parcerias possam surgir e que possamos qualificar ainda mais nossos policiais”, declarou.

A previsão é que o curso seja encerrado em dezembro, quando os alunos farão a defesa dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) e serão certificados.

Mostra das Profissões – Neste ano, devido à pandemia, seguindo as recomendações de distanciamento social das autoridades sanitárias, o evento ocorrerá de forma digital, por meio da exibição de vídeos de egressos do CBV nas redes sociais. Desse modo, será possível comprovar a atuação dos ex-alunos, sua inserção no mercado de trabalho, além de propiciar à comunidade externa um melhor conhecimento dos cursos ofertados pelo campus.

A ação, que visa divulgar as oportunidades de cursos técnicos e superiores do CBV para que a comunidade, público-alvo, se sinta motivada a ingressar na unidade de ensino, está em fase de planejamento e conta com o envolvimento de alunos, servidores (docentes e técnicos) e egressos. “Neste momento, estamos na fase de execução do planejamento, com gravação dos vídeos e tradução em Libras, mas ainda este mês os vídeos serão compartilhados em nossas redes sociais”, contou Marilda.

A Mostra das Profissões também pretende promover o encontro de culturas e a inclusão social e econômica, pois envolve ações de empreendedorismo, inovação social, economia criativa, digital e compartilhada, mundo do trabalho, universo tecnológico e inovador. Esses temas fazem parte de conteúdos conceituais, atitudinais e procedimentais que aparecem, transversalmente, na construção da visão de sobrevivência no mundo globalizado. “A ação está relacionada ao ensino, pois capta novos alunos para a instituição, despertando o interesse para se inscreverem nos processos seletivos dos cursos técnicos subsequentes, integrados ao ensino médio, ou nos vestibulares dos cursos superiores de licenciatura e tecnologia, e também à pesquisa, na medida em que divulga os trabalhos ou os resultados dos projetos realizados no âmbito dos cursos ofertados no CBV. No mais, há a exposição das ações que levamos de forma direta à comunidade externa, cuja dinamicidade entre as dimensões do ensino, da pesquisa e da extensão compõe a mostra”, explicou Marilda.

Projeto Karatê-Do –  Os alunos extensionistas Letícia Barros e Daniel Souza, ambos do curso de Licenciatura em Educação Física, e os instrutores Thanara Útana e sensei Everaldo Bezerra participaram do II Seminário de Shiai Kumite, ministrado pelo sensei Carlos Magno, técnico da Seleção Brasileira de Karatê.

A participação no seminário representou a oportunidade de aperfeiçoamento técnico à equipe que atua no projeto “Karatê-Do: caminho das mãos vazias”, com a aprendizagem de novas técnicas e o aprofundamento dos critérios de avaliação utilizados pela Confederação Brasileira de Karatê (CBK).

No seminário foram abordadas temáticas como a importância do karatê para o desenvolvimento do indivíduo, disciplina, atitude, comportamento, equipamentos, boa forma, equilíbrio entre corpo e mente, autoconfiança, entre outros aspectos relevantes que permeiam a filosofia dessa arte marcial. “O IFRR preza pela formação continuada dos seus servidores, alunos, egressos e colaboradores. Assim, busca articulação com instituições que possam acrescentar ou ampliar conhecimentos para melhor atender a comunidade em geral. Como coordenadora do projeto Karatê-Do, assisti ao curso e garanto quão significativo foi o evento. Foram três dias de aulas constantes e um treino rigoroso com vistas à preparação do instrutor para o gerenciamento de suas aulas”, relatou Marilda.

Para Thannara Útana, que participou pela primeira vez de um curso com o sensei Carlos Magno, a experiência foi de extrema relevância para seu aperfeiçoamento técnico. “Gostei bastante do curso. Aprendi detalhes importantes sobre novas formas de lutar karatê, como desenvolver golpes mais efetivos e como obter uma movimentação dinâmica na área de luta. Além disso, foram abordados importantes aspectos sobre regulamento e critérios da WKF sobre shiai kumite. Os ensinamentos socializados foram muito enriquecedores para os alunos e os instrutores e para o karatê de Roraima”, disse a instrutora, que aproveitou para agradecer o apoio recebido da Direx para a participação no evento e a realização do projeto.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
18/11/2020